Já conhece a história do Porsche Targa?

30 августа 2020 - auto.monitor

Já conhece a história do Porsche Targa?

Foi em setembro de 1965, durante o Salão Automóvel Internacional de Frankfurt, que a Porsche revelou ao mundo o 911 Targa.

O Targa não é um cabriolet nem um coupé, nem uma berlina, mas algo completamente novo: o primeiro cabriolet seguro com um arco de segurança fixo.

A condução ao ar livre pode agora ser desfrutada de diversas formas como nunca em automóveis abertos graças ao seu tejadilho removível e ao óculo traseiro retrátil em plástico: completamente fechado, completamente aberto ou apenas com a secção do tejadilho removida ou o óculo traseiro rebatido. O conceito Targa foi o sinal de partida para um tipo experiência de condução Porsche totalmente diferente e que será aplicada em todas as novas gerações 911, mas também em outros automóveis, como o 914 ou Carrera GT.

Nome em homenagem à Targa Florio

Com o novo conceito, a Porsche respondia às cada vez mais exigentes normas de segurança norte-americanas para automóveis descapotáveis, contrariando as vozes que apelavam para que os descapotáveis fossem completamente banidos nos Estados Unidos.

Quando escolheu o nome para o modelo, considerou as provas onde a Porsche tinha sido particularmente bem-sucedida, chegando rapidamente à Targa Florio – a competição siciliana onde a Porsche obteve imenso sucesso desde meados dos anos 50 do século passado. Por um curto período, o nome "911 Flori" esteve em discussão, até o Head of Domestic Sales, Harald Wagner, tropeçar na resposta ao perguntar: "porque não lhe chamar Targa?" O termo italiano significa também "placa", mas a lenda conta que o nome apenas viu a luz do dia quando os copywriters estavam a trabalhar na brochura de vendas.

Em agosto de 1965, a Porsche patenteou o conceito Targa e, a partir do outono de 1966, o Targa juntou-se com sucesso à carroçaria coupé nas suas versões 911, 911 S e 912. A partir do final do verão de 1967, os modelos Targa passaram a oferecer a possibilidade de serem equipados com um óculo traseiro fixo e aquecido em vidro no lugar do óculo rebatível em plástico. Uma solução que passou a ser de série apenas um ano mais tarde e que se manteve como uma caraterística do Targa até 1993.

Uma gama de opções para os modelos Targa da série G

O Targa manteve-se como uma opção na gama para a segunda geração do 911, nos modelos série G produzidos a partir do final do verão de 1973. Pela primeira vez, a carroçaria do 911 foi substancialmente modificada, apresentando para-choques com proteções de impacto em preto nas laterais, em linha com a nova legislação nos Estados Unidos.

Estes eram capazes de absorver impactos até velocidades de 8 km/h sem qualquer dano na carroçaria. Não foram feitas alterações ao design técnico do tejadilho Targa. Contudo, a aparência foi modificada com o arco Targa em aço escovado a estar agora disponível em preto. Mesmo quando o 911 SC cabrio foi incluído na gama, em janeiro de 1983, e um Porsche voltou a poder conduzido totalmente a céu aberto, o Targa manteve-se – mesmo depois do fim da produção da série G, em 1989.

O Type 964 com 85% de peças novas, mas com o Targa a manter-se um clássico

No começo do outono de 1988, na terceira geração do icónico automóvel desportivo, a Porsche lançou o primeiro 911 com tração integral, o 911 Carrera 4 (964). A clássica forma da carroçaria do 911 manteve-se, mas sob a pele cerca de 85 por cento das peças são novas.

Apenas um ano depois, uma variante com a clássica tração traseira ficou também disponível na forma do 911 Carrera 2, mas os três tipos de carroçaria podiam também ser encomendados: Coupé, Cabriolet e Targa. O 911 Carrera 2 Targa e o 911 Carrera 4 Targa, produzidos até 1993, continuaram a ter o clássico arco Targa e a secção central do tejadilho removível. Foram produzidas 87.663 unidades do modelo Targa nas primeiras três gerações do 911.

Partida do arco Targa – teto em vidro no 911 Targa Type 993

A quarta geração do 911 foi lançada no outono de 1993 em combinação com um novo design para a carroçaria e um novo conceito Targa, a partir de novembro 1995. Pela primeira vez no 911, os guarda-lamas dianteiros eram mais largos e significativamente mais planos. Os guarda-lamas traseiros eram também mais largos e seguiam em linha para a traseira. Juntamente com diversos aperfeiçoamentos no motor e chassis, a geração 993 levou a ideia Targa numa direção completamente nova, sem o arco Targa.

O tejadilho, produzido com vidro temperado escurecido, a partir da frente em direção à traseira, era agora englobado numa estrutura longitudinal de segurança. Dividido entre segmentos móveis eletricamente, corre suavemente com o pressionar de um botão e recolhe-se atrás do óculo como um tejadilho retrátil.

A nova solução beneficia a redução do ruído do vento e um habitáculo solarengo quando o tejadilho está fechado. Uma caraterística contínua do Targa: as janelas traseiras. O novo conceito Targa da geração 993 combina, pela primeira vez, o prazer de condução do 911 a céu aberto sem alterar significativamente a clássica linha de tejadilho coupé.

911 Targa Type 996 – uma nova tampa traseira para o Targa

A Porsche apresentou a quinta geração 911 com o 911 Carrera (996), em 1997. Foi completamente redesenhado e confiou, pela primeira, em motores boxer de seis cilindros refrigerados a água. O Targa ficou disponível a partir de dezembro de 2001 ao lado do Coupé e do Cabriolet.

Tal como o seu predecessor, o 911 Targa possui um tejadilho em vidro de operação elétrica, agora com uma área de superfície de mais de 1,5 metros quadrados. Nunca tinha havido, até então, tanta superfície vidrada num Porsche 911. O novo Targa foi também o primeiro 911 a oferecer um vidro traseiro que pode ser elevado. Isto permite aceder facilmente ao compartimento de arrumação traseiro com 230 litros de capacidade para pastas, malas ou outras bagagens.

911 Targa 4/4S Type 997 – vidro mais leve e duas variantes pela primeira vez

Setembro de 2006 viu a introdução do 911 Targa na sexta geração 911, a 997. No conceito, tem o mesmo design de tejadilho Targa do seu antecessor, mas com uma adicional e prática tampa traseira. Contudo, a utilização de um vidro especial permitiu reduzir o peso em 1,9 kg e as duas barras em alumínio polido, colocadas ao longo dos rebordos do tejadilho, foram especialmente cativantes.

Adicionalmente, o 911 Targa estava agora disponível em duas variantes de tração integral – o 911 Targa 4 e o 911 Targa 4S.

911 Targa Type 991 – o regresso do lendário arco Targa

Em setembro de 2011, a Porsche apresentou a sétima e totalmente redesenhada geração 911. Seguindo-se às variantes coupé e cabriolet, o 911 Targa foi apresentado em janeiro de 2014, surgindo como um clássico moderno com o seu inovador tejadilho Targa. A clássica ideia Targa foi combinada com sucesso, pela primeira vez, com a conveniência de um tejadilho topo de gama.

Como no lendário Targa original, o novo modelo tem a caraterística barra alargada no lugar dos pilares B, uma secção de tejadilho móvel sob os bancos dianteiros e um óculo traseiro envolvente sem pilar C. Mas ao contrário dos modelos clássicos, o tejadilho é aberto e fechado no Targa com o pressionar de um botão. O sistema de tejadilho totalmente automático oculta de forma espetacular os elementos do tejadilho atrás dos bancos traseiros. Este novo 911 Targa representou uma inovadora edição do clássico de 1965.