Opel celebra os 30 anos de modelos “made in Eisenach”

5 Oktober 2020 - auto.monitor

Opel celebra os 30 anos de modelos “made in Eisenach”

A reunificação da Alemanha ocorreu há 30 anos e a Opel instalou-se nessa mesma altura em Eisenach, na outrora Alemanha de Leste – o Opel Vectra A foi o primeiro modelo a ser produzido nas instalações.

A reunificação da Alemanha ocorreu há 30 anos e a Opel instalou-se nessa mesma altura em Eisenach, na outrora Alemanha de Leste.

Outubro é, por isso, um mês de comemorações para os germânicos e para o fabricante automóvel. Helmut Kohl, Chanceler alemão à data, conduziu o primeiro Opel saído da linha de montagem de Eisenach – um Opel Vectra 1.6i – no dia 5 de outubro de 1990.

A Opel foi, na realidade, uma das primeiras grandes empresas a empenhar-se na criação de novos e promissores empregos na Alemanha Oriental. Durante quase dois anos, os cerca de 200 funcionários produziram quase 20.000 unidades do bem sucedido modelo de gama média numa antiga nave da fábrica de automóveis Eisenach (AWE).

A nova fábrica, que se mantém até hoje, era inaugurada pouco tempo depois, em 1992. Desde então, a Opel investiu mais de 1,5 mil milhões de euros na unidade industrial da cidade que viu nascer Johan Sebastian Bach.

O CEO da Opel, Michael Lohscheller, sublinha: "Temos imenso orgulho na nossa equipa de Eisenach e do excelente trabalho que aqui vem sendo feito há 30 anos. Independentemente de se tratar do Vectra, do Astra, do Corsa, do ADAM ou, agora, do Grandland X, todos estes modelos saíram de uma linha de produção com uma qualidade típica de Eisenach. Através do nosso empenhamento para com a região da Turíngia, demos também uma importante contribuição para a unificação alemã."

Desde o primeiro dia, a Opel implementou consistentemente em Eisenach um novo sistema de produção. Planeada de acordo com os princípios da produção otimizada e equipada com os sistemas mais modernos, a fábrica funciona com elevados níveis de produtividade e qualidade.

No ano passado, foi levado a cabo um extenso trabalho de modernização da fábrica, de forma a acolher a industrialização da plataforma EMP2 do Groupe PSA. Praticamente tudo mudou.

Entre outras coisas, a linha de "casamento" – designação dada à operação de ligação entre o chassis e a carroçaria – foi totalmente modernizada, tendo sido também introduzido um processo de pintura mais eficiente e mais amigo do ambiente.

O extenso trabalho de renovação e a entrada em produção do Opel Grandland X não se traduzem, apenas, por garantir um futuro para a fábrica.

São também pilares importantes na ofensiva de eletrificação da Opel. O bem sucedido SUV – tanto como híbrido plug-in ou com um tradicional motor a combustão – é um produto da linha de montagem de Eisenach.

Modelos Opel produzidos em Eisenach:

  • Opel Vectra A (1990 a 1992)
  • Opel Astra F (1992 a 1995)
  • Opel Corsa B (1993 a 2000)
  • Opel Astra G (1998 a 2003)
  • Opel Corsa C (2000 a 2006)
  • Opel Corsa D (2006 a 2014)
  • Opel ADAM (2013 a 2019)
  • Opel ADAM Rocks (2014 a 2019)
  • Opel Corsa E (2014 a 2019)
  • Opel ADAM S (2015 a 2019)
  • Opel Grandland X (a partir de 2019)
  • Opel Grandland X PHEV (a partir de 2020)

 

Decisão democrática em 1990

A existência de uma fábrica Opel em Eisenach deve-se à perseverança dos seus fundadores, Wolfram Liedtke e Louis R. Hughes. Liedtke, Diretor da Fábrica de Eisenach (AWE) e Hughes, à época CEO da Opel, foram os grandes defensores daquela unidade de produção, apesar da forte resistência então sentida, pois, na verdade, a Confederação da Indústria Automóvel da então RDA (República Democrática Alemã) tinha outros planos para o AWE.

No entanto, como nunca ficou claro quais seriam esses planos e que, por isso, o futuro dos habitantes de Eisenach seria incerto, a Opel apresentou um conceito convincente. Liedtke acabou por deixar a confederação e iniciou o seu próprio percurso em Eisenach.

Liedtke contou com o total apoio dos trabalhadores e assumiu a defesa intransigente da fábrica e do seu futuro. Numa reunião com todos os funcionários em 1990, as decisões foram tomadas democraticamente.

Na qualidade de membro do Conselho de Administração da Opel, Hughes faz questão de estar presente nessa reunião e responde a todas as perguntas dos funcionários, que decidem então, por votação, aprovar, por larga maioria, a proposta da Opel para o futuro de Eisenach.

A partir daí, os acontecimentos sucederam-se rapidamente, sempre sob o lema "A Opel instala-se em Eisenach". Com o novo sistema de produção da Opel, a empresa torna-se no primeiro fabricante europeu a utilizar métodos de produção totalmente novos, seguindo cinco princípios fundamentais: envolvimento dos empregados, melhoramento contínuo, garantia de qualidade desde o início, padronização e prazos curtos graças à logística extremamente organizada.

Em Eisenach, a Opel estabeleceu também, logo desde o arranque, os mais elevados padrões na área de gestão ambiental. Os ciclos de reciclagem para reaproveitamento de resíduos de produção e uma moderna estação de tratamento de águas, que cumpre as maiores exigências, são apenas dois exemplos do sistema sustentável.